segunda-feira, 19 de maio de 2014

Resenha Fênix: A Ilha por Tamires


 
Sinopse - Fênix: A Ilha - Fênix - Livro 01 - John Dixon

Sem telefone. Sem sms. Sem e-mail. Sem TV. Sem internet. Sem saída. Bem-vindo a Fênix: A Ilha. Na teoria, ela é um campo de treinamento para adolescentes problemáticos. Porém, os segredos da ilha e sua floresta são tão vastos quanto mortais. Carl Freeman sempre defendeu os excluídos e sempre enfrentou, com boa vontade, os valentões. Mas o que acontece quando você é o excluído e o poder está com aqueles que são perversos? SKOOB
   A ilha é um campo de treinamento para adolescentes problemáticos. Isso é o que o mundo externo acredita, porém ali muitos segredos são escondidos e atos desumanos são cometidos.   Nosso mocinho é Carl Freeman, essa é uma das primeiras vezes em que a palavra "mocinho" combina tanto com um personagem. Carl é tido como um órfão problemático e violento de 16 anos que vem pulando por vários lares adotivos e por onde passa sempre se envolve em brigas, porém, todas as vezes que ele se envolveu em uma briga foi para defender alguém mais fraco, aquelas pessoas cujos valentões da escola sempre humilham e implicam. Em sua ultima briga Carl é enviado ao tribunal e dessa vez o juiz determina que ele vá para a Ilha Fênix até completar 18 anos O que ninguém imagina é que a Ilha Fênix é um campo de treinamento de mercenários. Todos os jovens que são enviados para lá são órfãos, garotos e garotas que não tem nenhum vinculo com a sociedade, que não tem ninguém que se importe com eles e consequentemente ninguém que vá sentir sua falta. 

   Lá conhecemos o sargento Parker, um homem odioso e extremamente cruel que não gostou do Cal logo de cara e que se diverte ao tornar os dias do garoto os piores dias de sua vida .  

   Como diz aquele velho ditado, é nas piores situações que conhecemos nossos verdadeiros amigos e realmente é nesse lugar tenebroso que ele conhece   Octavia e Ross, dois órfãs que assim como ele estão presos na ilha e que vem a se tornar grandes amigos.
 

    As coisas mudam para pior, no dia em que Cal encontra um diário onde constam todas as coisas cruéis e desumanas que acontecem na ilha, como é o caso da “Oficina” que mais parece com uma enfermaria, mas que segundo o diário, é o lugar onde acontece as “experiências” algo relacionado a experimentos nos cérebros dos garotos. Desse momento em diante fica claro que ele e seus amigos têm que sair o mais rápido possível da ilha.

     Segundo Eric, o autor do diário, as experiências têm inicio quando os jovens passam para a segunda fase do treinamento, a Fase Azul, e no momento Carl estava terminando a fase Vermelha, faltando pouquíssimo tempo para a seguinte.

   Quando Carl se torna o protegido do Ancião Stark que vem a ser o homem que controla a Ilha, as coisas parecem estar indo para um bom caminho, pois o ancião parece ser um homem bom.  “Eu acho que quando a esmola é demais o santo desconfia”, por isso acho que esse Ancião é justamente o contrário do que aparenta ser.

   O livro é tenso e faz com que tanto o personagem como o leitor se questione se aquilo realmente é real, as coisas são tão ruins como parecem ou são apenas pegadinhas que o nosso cérebro esta nos pregando. O excesso de explicação em algumas paginas me cansou um pouco, mas o livro vale a pena. Se você é fã da serie divergente e jogos vorazes, pode comprar esse livro tranquilamente, pois com certeza você vai gostar.
   A capa do livro é linda e desperta o interesse do leitor e a diagramação também esta ótima.

   Para quem não sabe, esse livro deu origem ao seriado Intelligence (pessoalmente comecei a assistir depois que acabei o livro e estou adorando, o seriado ainda é novo e esta na 1º temporada, mas atenção, não assista a serie achando que vai encontrar os personagens do livro, pois você não vai, o que liga a série ao livro são as experiências na oficina ).

  

 

 

Layout exclusivo do blog - Noites Malditas | Feito por: Alice Grunewald | Tecnologia do Blogger | Cópia total ou parcial é proíbida ©