quinta-feira, 7 de março de 2013

Resenha Bem Profundo




Uma das tarefas de Gwendolyne é esvaziar todos os dias a caixa de sugestões da biblioteca. Um dia, Gwen encontra uma carta direcionada a ela, e se trata de uma proposta indecente. Um homem misterioso começa a lhe mandar correspondências de perder a cabeça e fica claro que ele não quer ficar só no papo! Suas ideias são chocantes, mas excitam Gwen.

Enquanto sua imaginação está a mil, ela ainda precisa lidar com o professor Daniel, que está fazendo uma pesquisa temporária na biblioteca. Um homem espetacular, em sua opinião. Gwen começa a fazer avanços sobre o professor inspirada pelas cartas picantes que recebe do admirador secreto.

Personagens apaixonantes e um final surpreendente completam este erótico que tira o sono até das almas mais puras. Alguns envolvimentos vão longe demais, e não é possível escapar do que é bem profundo. SKOOB



Esse livro eu ganhei de Natal de uma pessoa muito especial, sabe, e o li em dois dias, mas como ando meio enrolada, assim demorou essa resenha.

“Bem Profundo” conta a história de uma bibliotecária, Gwendolynne, que encontra um bilhete erótico endereçado a ela na caixa de sugestões da biblioteca onde ela trabalha. Com esses bilhetes, nossa amiga acaba se aproximando de um lindo professor e pesquisador que estava usando a biblioteca para fazer uma pesquisa para o seu novo documentário.

O livro tem um clima erótico desde o inicio, as cartas chegam a ser bagaceiras, mas estimulam a nossa bibliotecária a aumentar o grau de sua amizade com Daniel, o jovem e, como ela, recém-divorciado professor. Nosso mocinho é uma celebridade e é desejado por todas as mulheres da biblioteca.

Bem, primeiro eu não sou muito fã de livros que mostram bibliotecárias como a “mal comida” como a “gordinha” que se sente inferior, etc... E sim, a Gwen é assim, já que inclusive é uma recém-divorciada. O enredo é simples e, se você é daquelas que quer ler “Cinquenta Tons de Cinza” com outras personagens, largue imediatamente esse livro. Bem profundo é um livro erótico, pura e simplesmente, sem romance, sem carinho, sem envolvimento; é só um romance erótico. Eu li muitas críticas sobre o livro não ter nada de relacionamento entre os protagonistas e, sinceramente, essas pessoas não entenderam o livro e provavelmente leram apenas Bianca e Julia no setor erotismo e nunca pegaram nada como a “História de O”, por exemplo. Essa é uma história como um filme pornô onde o objetivo é excitar e levar a protagonista ao sexo, só isso. A capa é infeliz, a chamada é pior ainda, mas o livro é ótimo para o que se propõe.

Obviamente que uma pessoa normal ao receber uma carta com o conteúdo de uma delas ficaria com medo, ficaria com nojo, mas esse é um livro pornô e, como tal, as cartas a deixam com vontade de se envolver com o Nêmeses.

Portia é uma autora conceituada dentro dessa linha de texto e estou espertando que a editora traga mais novidades dela, pois eu adoro a forma dela de escrever: pura, simples e direta. Estou simplesmente querendo os demais títulos dela.

Bem, eu recomendo esse livro para quem quer ler livro de erotismo mesmo, se você amou “50 Tons de Cinza”, a maior probabilidade é de não gostar desse livro, mas se você assistiu a “Emanuelle” e o “Sex Time”, esse é o seu livro.

Layout exclusivo do blog - Noites Malditas | Feito por: Alice Grunewald | Tecnologia do Blogger | Cópia total ou parcial é proíbida ©