sábado, 18 de outubro de 2014

Onde a Lua não está - Nathan Filer


Título: Onde a Lua Não Está
Título Original: The Shock of the Fall Livro Único.
Autor: Nathan Filer
Editora: Rocco
Páginas: 272
Ano: 2014

Sinopse
Numa viagem de férias em família, dois irmãos saem numa aventura infantil no meio da noite, mas apenas um deles volta a salvo para casa. Finalista do Costa Book Awards, Onde a lua não está é o elogiado romance de estreia de Nathan Filer, enfermeiro da área de saúde mental e poeta performático britânico. Permanentemente assombrado pela morte do irmão, portador da Síndrome de Down, Matthew nunca desistiu de tentar entender o que aconteceu na fatídica noite e acredita ter descoberto uma maneira de trazê-lo de volta, neste comovente romance de formação que inspirou um curta-metragem dirigido por Udo Prinsen. SKOOB


Resenha

Tudo começa quando Mathew, nosso protagonista então com 9 anos, sofre um acidente, onde vem a falecer seu irmão mais velho, que tinha síndrome de Down, e como era super protegido pelos pais, faz com que ele sinta-se culpado pelo acidente.

“Acho que as crianças acreditam no que querem acreditar. Talvez os adultos também.”

Conforme cresce, Mathew desenvolve um transtorno, e volta e meia relembra o passado, desde o acidente fatídico, então é cheio de altos e baixos devido sua medicação a qual não se adapta e entre viagens de ida e volta ao passado esta história é contada, cheia de tristes lembranças, ele conta sob seu olhar como era crescer num ambiente em que ele era apenas o irmão mais novo, que ninguém se atentava, e agora era o centro das atenções e recorre a escrever num diário.

“É o que fazem os rótulos. Eles grudam. Se as pessoas pensam que você é LOUCO, então tudo o que você fizer, tudo o que pensar, terá LOUCO estampado.”

É uma história delicada, de leitura rápida, para os que gostam de bons dramas familiares que lidam com temas delicados como o luto e doenças mentais, que são dois tabus da sociedade, e que nos trazem belas mensagens.
O autor é enfermeiro da área de Saúde Mental, então escreve com muito conhecimento e propriedade no assunto, entende o preconceito sofrido pelo personagem, sua instabilidade e dificuldade de aceitação, tanto pela sociedade quanto pela sua família.
Uma leitura fora do comum e que surpreenderá aos que buscam novidades literárias.

“Eu tenho uma doença, uma doença com a forma e o som de uma serpente. Sempre que eu aprendo alguma coisa nova, ela aprende também.”

Até a próxima,


Fernanda

Layout exclusivo do blog - Noites Malditas | Feito por: Alice Grunewald | Tecnologia do Blogger | Cópia total ou parcial é proíbida ©