domingo, 21 de outubro de 2012

Resenha de Vozes do Silencio





Somente algo poderoso poderia libertá-la... Seu destino era a morte para salvar o mundo da terceira guerra mundial, fruto de uma maldição que comandava toda a Espanha. Década de 60 - rock in roll, revoluções e um amor impossível – Analy se apaixona por Vidal, militante rebelde, meio às crises políticas que assolavam a Espanha durante a ditadura dieguista, porém, ela não esperava que sua família guardasse um segredo tão maligno, capaz de separá-la definitivamente de seu grande amor. Consequências de um passado tenebroso, vinganças sombrias, vozes, visões e uma maldição cigana – estão por todos os lados, do começo ao fim. O mais forte vencerá num cenário de lutas, sangue, perdas, mistérios e o sobrenatural. SKOOB



Tive o privilégio de ler esse livro antes de seu lançamento e vim correndo contar para vocês o que achei dessa obra.

Primeiro, vamos situar um pouco sobre o que é e do que se trata Vozes do Silêncio:

No livro, conhecemos Analy, uma moça de beleza impar que foi criada dentro de uma educação rígida e machista em plena ditadura Espanhola. Ela é sonhadora, apaixonada e guerreira; o tipo de garota por quem vale a pena torcer.

Nossa mocinha é a chave para quebrar uma maldição que aflige o povo cigano e que mantém o país em uma ditadura sangrenta. Ela é apaixonada por Vidal, um jovem jornalista e radialista que leva sonhos através das ondas do rádio a moças que, como Analy, vivem isoladas da cidade em sítios e até mesmo às moças da cidade, através de sua voz cativante e das músicas escolhidas a dedo. Só que Vidal é um comunista libertário e a ditadura nunca foi boa com essas pessoas.

Nesse ambiente, nosso casal se encontra através do destino, se apaixonada, mas não concretiza seu amor e ela vive nesse sonho de um dia reencontrar Vidal e viver esse amor; até que uma guia espiritual aparece na vida de Analy e voltamos ao inicio dessa curta narrativa.

 Eu fiquei encantada com a história desse livro, não sei se é porque estamos um tanto quanto carentes de histórias sobre ciganos que não envolvam sexo, ou ainda porque Analy é uma personagem muito bem construída que consegui passar verdade em suas decisões, ou ainda porque esse tema de ditadura espanhola, para mim, é inédito.

O “triangulo” amoroso entre Vidal, Juan e Analy, apesar de nunca existir mesmo, é cativante e, por alguns momentos, eu realmente torci por Juan porque ele me pareceu ser realmente apaixonado e realmente disposto a mudar sua vida e sua carreira pela nossa Analy.

A narrativa é em primeira pessoa e, em alguns momentos, tem um certo tom de nostalgia que fecha muito bem com o contexto do livro. A relação dela com a avó é bem construída e, para o tempo, bem verossímil.
Um fato que chama muita atenção no livro é que se pararmos para pensar ele não tem um vilão, sei que quem leu vai dizer, mas claro que tem porque existem pessoas que fazem mal a Analy durante o livro e existem pessoas que fazem de tudo para separa-la de Vidal, mas se olharmos que todos estão apenas em busca de sua própria felicidade, vemos que um ama Analy, outra quer o que Analy tem para si, outro ainda quer protege-la, na real, o vilão é o sistema de governo é uma coisa incorpórea e que pode mudar a ávida de todos.
Fica a dica, para aqueles que gostam de livros bem escritos aposte nessa obra que certamente vai surpreender.
O livro tem lançamento para 2013, mas até lá você podem conhecer o estilo de escrita cativante de Adriana lendo suas outras obras:

Livro ganhador do Prêmio INTERARTE como um dos cinco melhores romances de 2012. Prêmio reconhecido na França, Chile e Áustria. O que se faria por amor? Um anjo caído em busca de seu grande amor... Alguém terá que pagar por isso... Somente o mais forte sobreviverá. Henaph nasceu com a missão de guardar o Jardim, porém, ao se deparar com o seu Mestre de ensinamentos, Deus Hermes, que a prepararia para a sua missão, abdicou de tudo, até mesmo de sua imortalidade para viver este grande amor, cometendo o Oitavo Pecado, em nome de uma paixão, porém, ao conhecer Minos, o rei de Creta, se envolve em um instigante triângulo amoroso; nas malhas de uma paixão proibida, que a obrigará a fazer uma escolha entre o verdadeiro amor, ou volta da imortalidade. Entre a missão e a paixão, Henaph precisará fazer uma escolha... O que ela escolherá? Disponível neste link: http://modoeditora.com.br/loja/o-oitavo-pecado SKOOB


As paredes vão tremer diante de um segredo… Eva, estranha e antissocial, descobre grandes tragédias intimas, desvendando os mistérios sobre seu amor clandestino e o verdadeiro valor da amizade pelos amigos que lhe ensinaram a viver. Ela guarda, a sete chaves, um segredo que poderá mudar, não somente sua vida, mas a vida de todos a sua volta. O destino das pessoas que ama, está em suas mãos. Uma obra adulta que persegue os passos literários “claricence”, pelo modo intenso, ofegante e degenerado do amor de Eva por alguém que a sociedade e os dogmas irão condenar. E você, condenará? Todos os conceitos estão sujeitos à revisão. Nada mais será como antes…SKOOB


Um encontro entre a vida e a morte, e entre os dois pólos, a presença milagrosa do amor - tudo passa a fazer sentido... Clarice, solitária e questionadora, conhece Klaus através de um pesadelo. De repente, ele passa a persegui-la em todos os lugares, denotando ao livro, um cunho de mistério e sensações intrigantes. Um livro rico em sentimentos que fará o leitor rir, chorar, suspirar e odiar durante toda a leitura. Uma afronta aos conservadores. Uma luz no final do túnel! Este é o primeiro livro da série – O Voo da Estirpe. PRÓLOGO EXPLICATIVO DO LIVRO I DO O VOO DA ESTIRPE: O voo da Estirpe I foi escrito de forma introspectiva para deixar as pedras pelo caminho até sua continuação no livro II. Foi propositalmente criado para que o ser humano descubra os confins de seu eu. Não é uma leitura indicada para pessoas que vivem fora da abstração do ser, porém, seu foco e mensagem poderão chegar a sensações que você ainda não descobriu em si. Todos os acontecimentos no livro I, são os sentidos falando, convidando-os a uma viagem adulta e densa; forte e destemida. Nenhuma linha foi criada nos braços do acaso. Para tudo haverá uma explicação até que ela se revele, mas para isso, é necessária a entrega e o próprio questionamento que a obra induz. O segredo desta obra está na forma como você se vê ou se permite a tal visão. Ilusão ou realidade? Nunca saberá, até descobrir por si mesmo ou na leitura do livro II. Os mais afoitos se arriscarão a entender a obra nas entrelinhas, até que não cheguem as respostas. Este não é um livro de entretenimento. É um livro para quem busca por respostas, e principalmente, para quem não tem medo de se olhar por dentro e por fora. A dúvida permanecerá enquanto o leitor buscar apenas por esclarecimentos fictícios. Nada será de “mão beijada.” Faz parte do estilo da autora brincar de esconde-esconde, fugindo da leitura água com açúcar. Há um dilema no livro – o que se passa, é real ou fantasia? Sonho ou realidade? Estão vivos ou mortos? Quem são os personagens? Qual é a sua verdadeira identidade? Enquanto não chega o livro II, tire você mesmo suas próprias conclusões, respondendo a tais questões ou criando novas perguntas. SKOOB




Layout exclusivo do blog - Noites Malditas | Feito por: Alice Grunewald | Tecnologia do Blogger | Cópia total ou parcial é proíbida ©