segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Resenha de Simplesmente Ana por Tamires

Imagine que você descobre que seu pai é um rei. Isso mesmo, um rei de verdade em um país no sudeste da Europa. E o rei quer levá-la com ele para assumir seu verdadeiro lugar de herdeira e futura rainha…Foi o que aconteceu com Ana. Pega de surpresa pela informação de sua origem real, Ana agora vai ter que decidir entre ficar no Brasil ou mudar-se para Krósvia e viver em um país distante tendo como companhia somente o pai, os criados e o insuportável Alex. Mudar-se para Krósvia pode ser tentador — deve ser ótimo viver em um lugar como aquele e, quem sabe, vir a tornar-se rainha —, mas ela sabe que não pode contar com o pai o tempo todo, afinal ele é um rei bastante ocupado. E sabe também que Alex, o rapaz que é praticamente seu tutor em Krósvia, não fará nenhuma gentileza para que ela se sinta melhor naquele país estrangeiro. A não ser… A não ser que Alex não seja esta pessoa tão irascível e que príncipes encantados existam. Simplesmente Ana é assim: um livro divertido, capaz de nos fazer sonhar, mas que — ao mesmo tempo — nos lembra das provas que temos que passar para chegar à vida adulta. SKOOB

A capa é bonita, mas o resumo é meio “clichê” pois lembrou-me do filme “o diário da princesa” e, como havia vários outros livros que já estavam aguardando na fila para leitura, este ai acabou entrando no final da fila até que finalmente  chegou a vez dele. É com grande prazer que venho contar a vocês que a espera valeu a pena. Neste livro, o que mais me chamou a atenção é que a protagonista mora aqui no Brasil, mais precisamente em Belo Horizonte, e seu pai é o rei da Króvia, que é um país da Europa.  Nossa protagonista é Ana Carina, uma jovem de 20 anos que mora com a mãe e sua avó. Sua vida era bem normal até o dia em que seu pai, o rei da Krósvia, a descobre através de uma rede social (não vamos citar o nome) e sua vida muda completamente. Em pouco tempo, Ana se vê abandonando sua vida e indo viver em outro país para conhecer seu pai e um pouco desse outro lado de sua vida. Como se não bastasse a pressão de estar indo para um lugar totalmente desconhecido, ter a imprensa em cima dela a cada momento e estar sobre grande pressão para conhecer sua “nova” família, ela ainda tem que aguentar a desconfiança do Alex, seu irmão postiço (enteado do seu pai), pois, desde o inicio em que seus olhos se cruzaram, fez questão de deixar bem claro o que acha dela.

Essa personagem, definitivamente, me conquistou; ela é uma garota doce, mas ao mesmo tempo forte e determinada. Ela não é “festeira”, pelo contrario, adora ficar em casa lendo um bom livro. A cena em que ela descobre a biblioteca do castelo  foi como a do filme “A BELA E A FERA” (quando a bela descobre aquela imensa biblioteca) é como se o mundo parasse de existir e a pessoa não soubesse por onde começar, foi mágica.

Apesar da antipatia, Alex resolve mostrar a cidade para Ana e é ai que eles começam a se conhecer e vão os poucos mudando a opinião que tem um do outro e aquele clima vai aparecendo e um sentimento vai nascendo porque não tem como não se apaixonar. Ele é simplesmente o príncipe dos contos de fadas; seu único defeito é ter como namorada a detestável Laika (pelo nome já da pra ver que é uma “cadela”). O Alex tem 2 lados: o educado e gentil, e o lado rude e sexy. Eu adorei aquela história da tatuagem, pois fico só imaginando aquele “pequeno” braço tatuado.


Em minha opinião, o livro vale a pena; os personagens foram bem construídos, eles são “humanos”: cometem erros, pedem desculpa, brigam, riem e choram, agem por impulso e depois se arrependem. Essas coisas caracterizaram personagens mais reais e, principalmente pela personagem ser brasileira, a autora citou lugares, comidas e atores que estamos acostumas a ver, degustar e escutar no nosso dia-dia e isso fez com que o livro se tornasse mais gostoso ainda de se ler. 

Layout exclusivo do blog - Noites Malditas | Feito por: Alice Grunewald | Tecnologia do Blogger | Cópia total ou parcial é proíbida ©