sexta-feira, 11 de maio de 2012

Battleship: A Batalha dos Mares


Sinopse:
Peter Berg (Hancock) produz e dirige Battleship - A Batalha dos Mares, uma aventura épica de ação que tem início no mar e continua nos céus e em terra, na qual nosso planeta luta pela sobrevivência contra uma força superior desconhecida. Baseado no clássico jogo de batalha naval da Hasbro, Battleship – A Batalha dos Mares é estrelado por Rihanna como a sargento Raikes, Liam Neeson como Almirante Shane, Taylor Kitsch (de John Carter) como tenente Alex Hopper, um oficial naval lotado no navio USS John Paul Jones; Brooklyn Decker como Sam Shane, uma fisioterapeuta que é a noiva de Hopper; Alexander Skarsgård, que interpreta o irmão mais velho de Hopper, o oficial comandante Stone, do navio USS Sampson, membro da tripulação de Hopper e especialista em armas do USS John Paul Jones. Battleship Hotsite


Tivemos a oportunidade de prestigiar a pré-estreia de "Battleship: A Batalha dos Mares", dirigido por Peter Berg (de "Hancock"), que estreia hoje no Brasil. É, de fato, um filme empolgante de ação e ficção científica que lembra muito "Invasão do Mundo: Batalha de Los Angeles", de 2011. Não achei incomum que este filme tenha sido inspirado em um jogo, como muitos outros, mas o incomum é que o referido jogo é de tabuleiro, e não de videogame.

Apesar de muito do que li a respeito, achei que era mera coincidência o filme ter o mesmo nome do jogo Batlleship (também conhecido como Batalha Naval), até ler o nome "Hasbro" nos créditos iniciais do filme. A confirmação só aumentou minha curiosidade, pois não imaginava como um jogo de minha infância poderia ser transformado em filme. O resultado, contudo, excedeu minhas expectativas.


A estória, que se passa na atualidade, inicia alguns anos antes, quando é iniciada a operação de um avançado dispositivo de comunicação para iniciar comunicação com um recém descoberto planeta, com características similares às da Terra. Neste mesmo dia, Alex Hopper (Taylor Kitsch, de "John Carter") comemora seu aniversário com seu irmão Stone (Alexander Skarsgård, da série "True Blood"), que lhe cobra para dar um rumo à sua vido como, por exemplo, arrumando um trabalho. O rumo que Alex escolhe, entretanto, envolve chamar a atenção de uma desconhecida sentada no bar (Brooklyn Decker, de "Esposa de Mentirinha"), por meio de uma atitude atrapalhada e irresponsável. Enfurecido não só por seu irmão ser detido por policiais como pelo fato da desconhecida ser a filha do Almirante Shane (Liam Neeson, de "Fúria de Titãs", 1 e 2), Stone decide levar o irmão consigo para a marinha, onde este poderia aprender alguma coisa sobre "responsabilidade".

Passam-se alguns anos e Alex, apesar de ter-se tornado tenente e namorado de Sam (a filha do almirante), continua agindo de forma irresponsável. Em meio às atividades de um exercício militar em conjunto com outros países, realisado no Hawaii, decide que já é hora de pedir a mão de Sam junto ao seu pai. Entretanto, o desentendimento entre o Ten. Hopper e o Captão Yugi Nagata (Tadanobu Asano, de "Thor"), da marinha japonesa, pode complicar a tensa tarefa.

Enquanto isso, objetos desconhecidos são detectados rumando para a Terra, em formação precisa. Durante a reentrada, ocorre um acidente com um destes, se destruindo. Os demais pousam no oceano pacífico, próximo ao Hawaii. A frota, que encontra-se em alto mar, destaca três navios (o comandado pelo Com. Stone Hopper, o comandado pelo Captão Yugi Nagata e aquele em que serve o Ten. Alex Hopper) para investigar a situação. Subitamente, surge um campo de força, a partir das estruturas alienígenas, em volta do arquipélago havaiano. Com exceção dos três contra-torpedeiros (e de um encouraçado aposentado), o arquipélago fica isolado da frota. Os três pequenos navios passam, então, a enfrentar grandes naves alienígenas fortemente armadas e invisíveis perante os radares terráqueos (o que lembra o jogo, onde busca-se atingir uma frota inimiga oculta).

Mesmo que não fosse inspirado no jogo, o nome Battleship seria adequado ao filme. Battleship significa encouraçado, nome dado a uma categoria de navios de guerra pesadamente armados que teve seu apogeu na Primeira Guerra Mundial. Apesar de serem magníficas peças bélicas, passaram a ser considerados obsoletos frente aos porta-aviões e aos novos e ágeis navios menores, como os contra-torpedeiros do filme. Acaba sendo interessante, no filme, um dos comentários de Alex a um garoto, comparando o encouraçado aportado (transformado em museu para visitação) a um "dinossauro" e o seu moderno contra-torpedeiro ao "exterminador do futuro", sem imaginar que acabaria enfrentando "encouraçados" alienígenas.


Se tiver curiosidade a respeito da acensão dos grandes encouraçados, fica a sugestão do livro "O Espião", de Clive Cussler e Justin Scott, que tem a disputa internacional pelos mais poderosos encouraçados como cenário. Esse livro é um dos serão sorteados na Promoção de Aniversário do Noites Malditas.

P. M. Zancan

Layout exclusivo do blog - Noites Malditas | Feito por: Alice Grunewald | Tecnologia do Blogger | Cópia total ou parcial é proíbida ©