quarta-feira, 26 de outubro de 2011

A Rainha dos Condenados

OI pessoal
Hoje vou falar de um filme que a própria autora do livro não foi exatamente chegada e obviamente do livro. Vou falar de Rainha dos condenados.
Primeiramente Lestat nesse filme é muito diferente do Lestat descrito nos livros, mas apenas fisicamente, pois eu achei que Stuart Towsend foi muito bom como Lestat, só que não ser loiro de olhos azuis do tipo Frances infelizmente contou muito para ele não ser o Lestat mais querido dos fãs. Bem, ela ficou bem alterada ao falar do filme na Bienal do Rio quando foi questionada e em várias entrevista alegou que não participou de nenhum ponto da produção do filme e que na verdade o filme são os nomes dos personagens, porém um material original!

Então ai vai, o Filme A Rainha dos Condenados, com a saudosa cantora Aaliyah.



Título original: (Queen of the Damned)
Lançamento: 2002 (EUA)
Direção: Michael Rymer
Atores: Stuart Towsend, Marguerite Moreau, Aaliyah, Vincent Perez.
Duração: 101 min
Gênero: Ficção


Sinopse: O vampiro Lestat (Stuart Towsend) reinventou a si mesmo e agora é uma grande estrela do rock contemporâneo nos Estados Unidos. Sua música acaba despertando Akasha (Aaliyah), a rainha de todos os vampiros, cujo poder é tão grande que para combatê-la todos os vampiros da face da Terra precisarão se unir a fim de evitar sua própria extinção. Mas assim como a música de Lestat inspira Akasha, que deseja fazer dele seu rei, ela também faz com que Jesse (Marguerite Moreau), uma jovem fascinada pelo lado negro da vida, se apaixone por Lestat.


Bem que comentários eu posso fazer do filme, amei a trilha, Marillyn Manson simplesmente arrasou na trilha! Sem contar outros artistas que participaram das composições de Lestat e das vozes que usaram para compor a voz sobrenatural de Lestat.


Como já falei antes, adorei a atuação de Stuart como Lestat porque eu o acho lindo e vi que ele parecia ter lido O vampiro Lestat porque conseguia passar as emoções dele, apesar de ser fisicamente tão diferente. Para mim esse filme foi algo entre o Vampiro Lestat e a rainha dos condenados, porém reinventando a história de forma que ele se afastasse totalmente dos livros o que meio que impediria uma continuação. Ainda prefiro MILHÕES de vezes os livros.
Detalhes que não gostei, a origem de Lestat totalmente distorcida, o sumiço de uma das gêmeas ruivas e o Armand que mais parece o Iolaus,o loirinho do seriado Hercules, do que o Vampiro Russo.





Quanto ao livro:




Sinopse: Em A rainha dos condenados, a escritora americana Anne Rice retoma os personagens que a tornaram famosa e faz o livro de maior suspense e densidade de suas Crônicas Vampirescas. Aqui, há vampiros para todos os gostos. Jovens e delinqüentes, como Baby Jenk, da Gangue das Garra, românticos como Armand e Daniel, estudiosos como Jesse, que investiga para a organização conhecida como Talamasca, a história desses seres estranhos, imortais misturados entre mortais, para quem sangue, sexo e morte são elementos indissolúveis do dia-a-dia. Reunidos em torno de Lestat, eles respondem ao chamado de sua música quase hipnótica e correm, ao longo da narrativa de Anne Rice, um perigo difícil de evitar. É que o som de Lestat desperta Akasha, a mãe dos vampiros, a encarnação da força maléfica feminina, disposta a escolher os justos, entre os vampiros, através de um banho de sangue. Mestra da alquimia entre crueldade e poesia, Anne Rice prova em A rainha dos condenados saber fazer em literatura o que Lestat faz em música. Impossível não segui-la hipnoticamente até a última página.
O livro é de 1985 e é o terceiro da saga das crônicas vampirescas. E ele trás a origem dos vampiros de Anne Rice ao viver uma aventura super cruel quando a Rainha e Mãe de todos os vampiros resolvem que é hora de voltar à vida, primeiro ela é uma continuação que foi deixada muito na cara do final de Vampiro Lestat. Nele a nossa Vampira do mal, levanta de seu trono ornamentado com o que de mais luxuoso Marius poderia lhe dar para cumprir sua missão, formar um reino só de mulheres. Onde os homens mais fortes seriam escolhidos e mantidos vivos apenas para reprodução e o restante seria morto. Ela acreditava que a violência vinha exclusivamente dos homens, por isso ela os matava (entenderam o lance de violência vencida com mais violência?) e Lestat seria o seu reprodutor perfeito, apesar de ele pelo que eu entendi não funciona para sexo, se é que me entendem? Eles se mordem e através do sangue e das caricias atingem o que nós chamamos de orgasmo esse é um dos motivos vai levar ao Lestat tomar a decisão que ele toma em O ladrão de corpos (quem não leu, leia é muito bom).
 Bem é isso eu recomendo a todos, mas leiam antes Entrevista com o Vampiro, que é lindo e trás a visão do vampiro mais melancólico do mundo de Anne e também o Vampiro Lestat que além de uma resposta a Entrevista nos apresenta o mais amado de todos os vampiros, Lestat!
Confiram tb!
Guardiã da Meia Noite

Bem, é isso
Beijos Malditos,

Susana Weiss

PS tb quero divulgar o evento das meninas, Scheila e Guta!



Layout exclusivo do blog - Noites Malditas | Feito por: Alice Grunewald | Tecnologia do Blogger | Cópia total ou parcial é proíbida ©