terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Resenha de Eldest

Segunda parte de A Herança


Sinopse:
Eldest acompanha o amadurecimento do jovem guerreiro protagonista da história. A narrativa começa três dias após a cruel batalha travada por Eragon para libertar o Império das forças do mal. O Cavaleiro de Dragões se vê envolvido em novas e emocionantes aventuras. Em busca de um tal Togira Ikonoka, O Imperfeito que é Perfeito, que supostamente possui as respostas para todas as suas perguntas, Eragon parte, junto com Saphira, o dragão azul que o acompanha desde o início da aventura, para Ellesméra, a terra onde vivem os elfos. Lá, eles pretendem aprender os segredos da magia, da esgrima e aperfeiçoar o seu domínio da língua antiga. Skoob

Este livro inicia com um resumo da estória do livro anterior. É um capítulo útil, visto que Eldest continua a narrativa no ponto em que Eragon parou. Neste livro, O jovem cavaleiro não é o ponto central da estória, dividindo-a com seu primo Roran, em Carvahall; e com Nasuada (Filha de Ajihad), Junto aos Varden. Isso tornou o livro muito mais dinâmico.

As passagens de Eragon iniciam com os últimos focos da batalha de Farthen Dûr, trazendo sentimentos de fragilidade e perda ao nosso herói. Os conceitos de “heróis e bandidos”, que eram bem claros no livro anterior, começam a esmaecer, com as tramas e subterfúgios por traz do poder em ambos os lados. São momentos onde Eragon exercita mais sua astúcia do que sua magia ou sua espada.

Durante sua jornada à Ellesméra, a capital dos Elfos, são expostos, ao cavaleiro, detalhes da cultura dos anões e dos elfos, assim como as diferenças entre elas. São diferenças de crenças e valores que ilustram quão frágil é esta aliança e quão necessária esta é para eles. Novos seres são apresentados, assim como novos aliados e inimigos.

No treinamento que Eragon recebe do “Imperfeito que é Perfeito”, é demonstrada a complexidade do poder de um cavaleiro, onde uma palavra pode fazer a diferença ente uma bênção e uma maldição, entre a vida e a morte. Infelizmente seu treinamento é muito mais breve do que de seus antecessores, visto que a guerra se aproxima.

Apesar de ser muito interessante descobrir os detalhes culturais da Alagaësia, estas narrativas tornam-se um tanto monótonas. Entretanto, elas são intercaladas com acontecimentos bem mais dinâmicos em Carvahall, cidade Natal de Eragon e Roran (seu primo), e junto aos Varden, pela perspectiva de Nasuada.

Enquanto o jovem cavaleiro é guiado em segurança para seu treinamento, Roran volta para Carvahall, onde seu pai morreu, sua fazenda foi destruída e seu primo desapareceu (aparentemente). Sem meios de retomar confortavelmente sua vida de agricultor, a esperança de conseguir aprovação para casar-se com sua amada Katrina enfraquece. Como “desgraça pouca é bobagem”, forças do império chegam a sua procura, instalando o terror na pequena cidade. Isso faz com que o guerreiro dentro de Roran surja, lutando em batalhas com inimigos mais fortes, mostrando que o amor move montanhas (ou através delas).

Nos capítulos com Nasuada, é mostrado o cotidiano por traz das batalhas. Dês da procura por espiões infiltrados até as dificuldades com o financiamento das tropas e a disponibilidade dos aliados. Nesta parte a personagem Ângela ganha espaço, tendo que lidar com as conseqüências de atos impensados de Eragon e Saphira, demonstrando ter muito mais profundidade e mistérios do que aparentava no livro anterior.

Ao fim, uma nova batalha, ainda mais grandiosa do que de Farthen Dûr. Nela, os paradigmas de Eragon são revistos, percebendo que inimigos podem ser aliados e vice-versa. Ao fim, Eragon ganha e perde, percebendo que derrotar Galbatorix é uma tarefa muito mais complicada do que imaginava.

Se em Eragon havia diversas referências a Guerra nas Estrelas IV (Uma Nova Esperança), neste existem várias ao Episódio V (O Império Contra-Ataca). A mais explícita é o treinamento do herói, que estimula o uso da mente e da magia (a “Força”) em um lugar reservado e pacífico enquanto outros (como Han Solo e companhia) enfrentam dificuldades.

O Autor


Christopher Paolini nasceu no dia 17 de Novembro de 1983 no sul da Califórnia. Exceto por alguns anos em Achorage, no Alasca, ele passou a vida inteira no Paradise Valley, em Montana, onde ainda reside. Ele vive com os pais e a sua irmã mais nova, Angela, numa rústica quinta nos bancos de Yellowstone River. Eles têm dois animais de estimação: Otis, um gato preto e branco e Annie, uma cocker frisada. Christopher foi educado pelos seus pais. Ele frequentemente escrevia pequenas histórias e poemas, fazendo visitas à biblioteca e lendo muito. É o autor da série Ciclo da Herança, cujo primeiro livro foi adaptado para os cinemas do mundo todo. Skoob

P. M. Zancan

Layout exclusivo do blog - Noites Malditas | Feito por: Alice Grunewald | Tecnologia do Blogger | Cópia total ou parcial é proíbida ©