segunda-feira, 2 de abril de 2012

Resenha de Até Mais, e Obrigado pelos Peixes!



 

Quarto volume da série “O Mochileiro das Galáxias”


Sinopse:
Depois de oito anos vagando pelos mais insondáveis cantos da Galáxia, Arthur Dent está de volta à Terra, e tudo parece estranhamente normal. 
Em busca de respostas que possam explicar não só como a Terra poderia continuar a existir – já que ela havia sido destruída para dar passagem a uma estrada interplanetária anos antes –, mas também por que tudo estava absolutamente igual ao que era, exceto pelo misterioso desaparecimento dos golfinhos, Arthur começa uma nova jornada.
Uma das poucas pessoas que poderiam ajudá-lo a compreender toda a história é Fenchurch, uma linda garota que tem surtos psicóticos desde que teve uma revelação transcendental sobre o porquê de as coisas darem sempre tão errado para os humanos.
Juntos, Arthur e Fenchurch vivem um grande, profundo e divertido amor, cheio de beleza e poesia, mas repleto das mais inusitadas situações, enquanto procuram o motivo de tanta confusão.
Teriam os dois imaginado tudo aquilo? Mas, então, onde estariam os golfinhos? E o que queriam dizer com a mensagem "Até mais, e obrigado pelos peixes!"? Isso é o que você e Arthur Dent estão prestes a descobrir! Skoob

Após terminar a leitura do livro anterior (A Vida, O Universo e Tudo Mais), fica a impressão de que não há muito mais para ser contado. Sendo assim, este livro inicia com um prólogo que retoma uma personagem que existiu por breves linhas no primeiro livro, de modo a iniciar uma nova sucessão de acontecimentos.

Neste livro, Arthur chega sozinho a um planeta, como mochileiro. Em meio à chuva, ele percebe algo realmente estranho com esse planeta: é a Terra. Mais precisamente, a mesma Terra que ele conhecia, mas sem ter sido destruída.

Pegando carona para sua casa, ele conhece uma mulher singular chamada Fenchurch, que será muito importante nesta estória. É ela a mulher mencionada no prólogo, e pode ser uma das poucas pessoas que se interessam em descobrir o que realmente aconteceu dês do anúncio de demolição da Terra e a não destruição dela; assim como uma das poucas que se interessam em saber o que aconteceu com os golfinhos, que desapareceram na mesma época.

Apesar dos anos como mochileiro, longe de um planeta ao qual pudesse chamar de lar, Arthur consegue retomar a sua vida, inclusive em sua casa que, desta vez, não foi demolida para dar lugar a um desvio. Apesar de um item incomum figurar em meio a seus objetos, a ausência de outro item o leva a questionar se as aventuras dos últimos anos realmente aconteceram. Estes questionamentos começam a ser respondidos quando reencontra Fenchurch e, por meio de um romance, se junta a ela em busca de uma resposta para a demolição e ressurgimento da Terra.

Paralelo a isso, Ford Prefect aguarda, em um planeta distante, a nova atualização do Guia do Mochileiro das Galáxias, que irá varrer as palavras “praticamente inofensiva” junto com o verbete “Terra”. De fato, este par de palavras desaparece, mas dá lugar a variadas informações coletadas por Ford, repassadas para o Guia e anteriormente ignoradas. Assim, munido de um novo objetivo, ele parte em viagem para seu destino.

Ao final, estes três juntam-se para uma nova viagem: uma viagem rumo à uma mensagem divina e, infelizmente, à perda de um personagem muito importante para a série.

Devo admitir que este é o livro mais fraco dos seis. Ele (publicado dois anos após o “A Vida, O Universo e Tudo Mais”) passa a idéia de ter sido escrito mais para cumprir o apelo dos fãs por um novo livro do que por influência do fluxo criativo do autor. Douglas Adams, após publicar os quatro primeiros livros em poucos anos (“O Guia do Mochileiro das Galáxias” em 1979, “O Restaurante no Fim do Universo” em 1980, “A Vida, O Universo e Tudo Mais” em 1982 e “Até Mais, e Obrigado pelos Peixes!” em 1984), levou muito tempo para retomar a série, quando publicou, em 1992, “Praticamente Inofensiva”, cuja resenha será publicada dia 09/04/2012.

Lembro que esta resenha faz parte da Promoção Mochileiro das Galáxias. Comente e preencha o FORMULÁRIO, para participar.

P. M. Zancan


Layout exclusivo do blog - Noites Malditas | Feito por: Alice Grunewald | Tecnologia do Blogger | Cópia total ou parcial é proíbida ©