quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Resenha A outra Vida Por Tamires


O mundo de Sherry — de uma hora para outra — mudou completamente. Por causa de um vírus muito contagioso, as pessoas que ela costumava conhecer, e quase todas as pessoas de sua cidade, Los Angeles, na Califórnia, se transformaram em mutantes assustadores. Esses mutantes têm uma força excessiva, são ágeis, o corpo é coberto de pelos, eles lacrimejam um líquido imundo e… comem gente! Portanto, não há muito o que fazer — talvez tentar fugir — quando se encontra algum deles. A não ser que você tenha ao seu lado a força e a determinação de um jovem como Joshua. Joshua perdeu uma irmã para os mutantes e sua raiva é tão grande que ele seria capaz de vingar todos aqueles que perderam alguém para as criaturas. No entanto, para que esta revanche aconteça, é preciso prudência. Afinal, até que ponto a disseminação deste vírus foi uma coisa realmente natural? Que poderosos interesses estão por trás desta devastação? E será que Joshua e Sherry conseguirão ter a cautela necessária para lutar contra as criaturas justo agora que seus corações estão agitados pelo começo de uma paixão?SKOOB
Confesso que estava com receio de pegar este livro; a sinopse era interessante, mas o assunto “zumbis” já foi tão explorado que estava com medo de descobrir o que viria a seguir. Graças a deus, Susanne Winnacker é uma escritora experiente e conseguiu criar um universo totalmente diferente do que estamos acostumadas e seus “zumbis” são diferentes daqueles que já estamos acostumados. A autora criou um cenário pós-apocalíptico tão real que, em alguns momentos, durante leitura, meu próprio coração disparava, em virtude dos sustos e da adrenalina pelo qual os personagens estavam passando.

“Um milhão, seiscentos e quarenta mil, cento e sessenta minutos desde a última vez que corri, desde a última vez que meus cabelos balançaram ao vento, desde a última vez que vi alguém que não fosse da minha própria família.” (Pág. 9)

Há mais de três anos, Sherry e sua família vivem em um abrigo para se proteger da “raiva”, que foi o nome que o governo deu para o surto de uma doença que se espalhou entre a população. Imagine passar três anos, um mês, uma semana e seis dias dentro de um abrigo, com seus pais que estão sempre brigando, seu irmão mudando de humor tão rápido que você não consegue acompanhar, sua Irmã caçula que sempre assiste ao mesmo filme, sua avó que nunca para de tricotar e, recentemente, com o seu avô que morreu a alguns meses e esta sendo mantido no freezer (já que este estava desocupado). Se fosse comigo, eu teria enlouquecido em menos de um ano. Há meses que estão sem receber noticias do governo e com o fim da comida na despensa seu pai e ela se veem obrigados a saírem do abrigo para poder procurar alimentos para sua família.

“Há dois dias a comida acabou. Quanto tempo mais se passaria até que ficássemos tão fracos que nem pudéssemos nos mover? Ou até que começássemos a comer uns aos outros? Quase ri com esse pensamento. Talvez estivesse enlouquecendo” (Pág. 23)

Algumas horas após terem saído em busca de mantimentos, o pai de Sherry é capturado pelos “Chorões” (que é como as criaturas que foram vitimas do vírus são chamadas) no super-mercado em que estavam procurando mantimentos. Eis que surge Joshua, um rapaz um pouco mais velho do que Sherry, que a salva antes que esta fosse capturada e levada para ser “comida” dos chorões. Joshua é um caçador que teve sua família morta pelos chorões e que, atualmente, vive com outros refugiados, ele lhe explica o que aconteceu com a cidade e com os habitantes quando o vírus, mais conhecido como a doença da raiva que transformava seres humanos em mutantes que se alimentam de carne humana, se espalhou. Atualmente existem dois tipos de chorões: os que se comportam como animais e tem pelos (imaginem uma versão mais grotesca de um lobisomem), e outros que tem o olhar mais próximo do humano, que possuem inteligência e esperteza e que, portanto, são os mais perigosos.

Assim inicia a corrida contra o tempo para resgatar o pai de Sherry, antes que ele vire a próxima refeição (já que os chorões costumam estocar comida), e levar o restante de sua família para um lugar seguro.

Antes de cada capítulo, conhecemos pequenas partes da “Outra Vida” de Sherry, o que (em minha opinião) é pura perda de tempo e não contribui em nada para a história. Na verdade, em vários capítulos, eu simplesmente dava uma olhada por cima e já pulava para o resto da história.

Definitivamente, “A Outra Vida” é uma serie que tem de tudo (aventura, ação,romance,...) para ser um grande sucesso e, se você for fã da série de TV The Walking Dead, você vai se apaixonar por este livro.


Layout exclusivo do blog - Noites Malditas | Feito por: Alice Grunewald | Tecnologia do Blogger | Cópia total ou parcial é proíbida ©