sábado, 5 de outubro de 2013

Resenha de "Sangue na Neve"


Sinopse:
A policial Tessa Leoni matou seu marido, Brian Darby, em legítima defesa. A arma do crime está à vista de todos e os hematomas no corpo de Tessa confirmam a ocorrência. A policial também não fez questão de fugir, ou de arrumar qualquer justificativa para explicar aquele corpo estendido no chão da cozinha, portanto, aparentemente, o que a investigadora D.D.Warren tem à sua frente é o desfecho de uma briga doméstica. Um caso simples.
No entanto, ao abrir o inquérito, D. D. terá uma surpresa: este não é o primeiro homicídio de Tessa Leoni e — afinal — onde está a filhinha de seis anos da policial? Será que a policial Leoni realmente atirou em seu marido para matá-lo? Uma mãe seria capaz de prejudicar intencionalmente sua filha?
D.D. Warren, a experiente detetive que acredita que desvendar um caso é como mergulhar na vida do criminoso, enfrentará mais uma investigação que a levará a uma busca frenética por uma criança desaparecida enquanto tenta encaixar as peças de um mistério familiar que a levará a quebrar os muros do corporativismo policial.
Em uma manhã fria de domingo, na casa de seu namorado (que conheceu em "Viva para Contar"), D. D. Warren aproveitava um momento a sós para lidar com seus próprios problemas quando recebe uma ligação pondo fim à sua folga. Uma mulher, com sinais de agressão, havia matado o musculoso marido a tiros. Não parecia urgente o suficiente para convocar D. D. e sua equipe, mas envolvia o desaparecimento de uma menina de seis anos. Para complicar o cenário, a esposa em questão é patrulheira da polícia estadual e contava com todo o equipamento e treinamento para resolver um conflito doméstico de maneira menos drástica. Para evitar a tenção entre os detetives da Polícia de Boston e a Polícia Estadual de Massachusetts, D. D. terá que realizar a investigação em conjunto com um detetive estadual, seu ex-namorado. Infelizmente para Warren, estas questões são apenas a "ponta do iceberg".

Tessa Leoni, a policial investigada, parece interessada em encontrar a filha desaparecida, mas se esquiva de qualquer pergunta que possa ajudar a resolver o mistério. Ela intencionalmente utiliza sua experiência policial em cuidar de casos de violência doméstica e procedimentos de interrogatório para controlar a situação em nome de um objetivo não revelado. Tal comportamento previa dar a ela uma aparência de jovem e frágil mãe agredida pelo marido, mas leva D. D. a vê-la como uma mulher fria e astuta.

A investigação, cuja rapidez é necessária para ajudar a localizar a pequena Sophie, passa a revelar segredos ocultos do que inicialmente parecia ser uma família quase perfeita. Cada pista encontrada que pode levar a uma resposta, traz junto outras perguntas. Questões como dinheiro e amor, que serviriam de explicação para outros delitos, tornam-se mistérios, sendo difícil descobrir como estiveram ou ainda estariam motivando os envolvidos.

O livro é narrado por dois pontos de vista: da detetive D. D. Warren e da policial Tessa Leoni. Nas partes de D. D., a narração é feita em terceira pessoa, descrevendo a investigação policial e os pensamentos da detetive. Nas partes de Tessa, a narração é feita em primeira pessoa, com os pensamentos e memórias da acusada. Entretanto, apesar dela saber o que houve ou o que pretende, não é revelado mais do que o necessário para o momento, levando o leitor a questionar se suas suspeitas quanto à investigada estavam quase certas ou muito erradas.

Este é um livro emocionante, com muitas reviravoltas. As cenas de ação são bem narradas assim como os procedimentos investigativos são habilmente descritos, informando o leitor sem romper o ritmo da trama. Esta é uma ótima estória policial e muito boa opção para os fãs do gênero.

A Autora:


Lisa Gardner se define como uma pesquisadora compulsiva (o que garante a credibilidade e a seriedade de seu trabalho), e sempre teve interesse pelo procedimento policial e forense. Com mais de 22 milhões de livros vendidos (é a autora de thrillers #1 do The New York Times), suas obras já foram publicadas em 30 países e é a vencedora de prêmios importantes como o Daphne du Maurier Award, nos Estados Unidos, e o Grand Prix des Lactrices, na França. Vive com sua família na Nova Inglaterra. [Editora Novo Conceito - Lisa Gardner]


P. M. Zancan

Layout exclusivo do blog - Noites Malditas | Feito por: Alice Grunewald | Tecnologia do Blogger | Cópia total ou parcial é proíbida ©